2 de mai de 2010

Conspiração - Revista Internet.br (abril/1997)

Uma entrevista que o Fernando Vilela, editor da revista Internet.br, fez comigo por e-mail em 1997:

Byte-papo com Claudio Malagrino

    Internet.BR - Na Internet existem informações de todos os tipos, das mais sérias às mais revolucionárias ou absurdas. Quais são os pontos positivos e negativos dessa "democracia de informação"?

Claudio Malagrino - Os teóricos da Comunicação costumam dizer que se trata de uma visão do mundo pós-moderno. Não conhecemos a verdade final, mas suas (múltiplas) interpretações. O fato é que a Internet vem, aos poucos, fazendo com que deixe de existir o "formador de opinião", tão consagrado pela mídia tradicional. E isso é muito positivo. Uma idéia pode ser contestada imediatamente, que por sua vez pode gerar uma réplica, um "thread", um "flame"... :-) O telespectador passivo passa a ser usuário ativo na Internet. Isso gera uma massa crítica de idéias que é muito rica, muito mais do que uma coluna de um editorial ou um comentário "indignado" ao final de uma notícia. O problema todo reside no seguinte: se caiu um avião, isso é fato. Não há o que contestar. Talvez as causas do acidente sejam abertas à interpretação, mas o fato é que o avião caiu. A mídia tradicional não falha na descrição do "fato", isso é uma questão sagrada. Mas, na Internet, nada impede que se passe por cima do fato. Até que ponto podemos confiar em uma informação lida em um grupo de discussão do tipo sci.medicine, se qualquer pessoa pode ter acesso a ele e dizer o que quer? Na Internet, tudo passa a ter o mesmo peso: o noticiário da CNN e a discussão sobre "a invasão dos EUA por tropas inglesas e da Nova Ordem Mundial".


    .BR- Só o fato de uma pessoa conhecer as teorias conspiratórias já contribui, de certa forma, para que ela fique mais desconfiada e enxergue a "realidade" também por outros ângulos. Que perigos pode trazer, contudo, a disseminação dessas teorias conspiratórias na Internet? Que tipo de preocupação um internauta deve ter em relação a elas?

Claudio - As teorias conspiratórias estão crescendo em meio a uma verdadeira "indústria da paranóia" nos EUA. O sucesso da (excelente) série televisiva "Arquivo X" se deve totalmente a isso. O roteirista, Chris Carter, é uma pessoa altamente sintonizada com esse espírito e bebe sua inspiração na fonte da Internet. A base de "Arquivo'X" é o trabalho do maior Bill Cooper, que escreveu "The UFO Conspiracy", um longo relato sobre um acordo secreto feito entre os governos dos EUA e da antiga URSS com os alienigenas, na infame década de 50.

Embora disseminada por grupos de tendências muitas vezes fundamentalistas, as teorias conspiratórias não se constituem necessariamente um perigo. Pelo contrário, apontam em direção a uma reflexão sobre o mundo em que estamos vivendo, de uma maneira mais ampla. O problema é que estas teorias normalmente não possuem base comprobatória e muitas vezes se auto-justificam, formando o que se pode dizer "um corpo fechado". O que quer dizer isto? Simples: Esta é minha teoria. Não existem provas. Elas foram destruídas. As provas eram conclusivas. Ponto final.

Um espaço muito sério de reflexão é o organizado por James Daugherty, do A-albionic Project (http://a-albionic.com). Uma série de temas são apresentados, e há, inclusive, uma lista de discussão, onde podem ser encontradas desde mensagens sobre temas relativos à democracia até "avisos" de invasões e exércitos na esquina.

O internauta iniciante deve procurar se municiar de um senso crítico muito grande, procurando filtrar estas informações, e refletir sobre o seu contexto e significado. É negativo aceitar estas idéias totalmente e negá-las também. Afinal, onde está a verdade, não? :-)


    .BR- O que mais o fascina na Internet?

Claudio - Tudo isso, toda essa riqueza de informação disponível de uma maneira muito fácil. Basta acessar seu mecanismo de busca e pronto: uma lista de locais a visitar. Páginas feitas por grandes corporações, impérios de mídia, e também por pequenos grupos ou pessoas, que podem expor suas idéias ou oferecer seus serviços em escala global, sem nenhuma censura. Isto é muito fascinante.


    .BR- É verdade que os seres extraterrestres vivem ocultos por aqui? :-)

Claudio - Se eles estão por aqui, não sei, mas a verdade é que eles não devem estar no comando, senão não teríamos tantos problemas de acesso à Internet. Civilizações extraterrestres que acessassem a Internet certamente teriam um painel de informações sobre nossa cultura muito mais amplo do que através da TV, por exemplo. Se bem que seria um painel predominantemente ocidental, branco e de língua inglesa. Mas, de qualquer maneira, bem amplo.


    .BR- Que navegação recomenda aos nossos leitores?

Claudio - Não apenas Web, mas Gopher e Usenet. Estes serviços não-gráficos contêm muita informação ainda e vão acabar sendo desativados por falta de utilização. Outra pedida é assinar listas de discussão de temas de seu interesse, nunca se esquecendo de que uma lista boa é uma que tem sempre uma boa discussão. No Web, gosto muito de visitar o site do Discovery Channel (www.discovery.com), e sites ligados a design e computação gráfica. E, é claro, recomendo a todos On-Line Magazine.

Um comentário:

Sid disse...

Óia!!! Tenho um amigo famoso! Da próxima vez que passar lá em casa para pegar uns CDs e livrinhos do Perry Rhodan deixa um autógrafo, ok? De preferência em um cheque com fundos...