29 de abr de 2010

A Internet no museu


Já se vão pelo menos 16 anos desde as primeiras experiências de Tim Berners-Lee e sua World Wide Web de 1994. Desde então as páginas web se multiplicam diariamente, e hoje se contam aos bilhões. Na segunda década do século 21, estamos imersos em um oceano de bits.

Mas se cresce rápido, os produtos da cultura digital têm vida curta. Sites são substituídos por mais novos e os antigos são simplesmente apagados e esquecidos. Imagens e fotos tiradas em câmeras digitais se perdem, apagadas por descuido ou por mídias defeituosas. E-mails importantes se misturam a montanhas de spam. Por sorte há uma iniciativa de alguns grupos em preservar a cultura digital, a mais efêmera de todas já criadas pelo homem.

A Biblioteca do Congresso dos EUA (Library of Congress) desenvolve um programa de preservação de arquivos digitais. O site da LoC dá dicas aos usuários para preservação de suas fotos, materiais digitais e até mesmo e-mails:
http://www.digitalpreservation.gov/you/digitalmemories.html

O Internet Archive, uma vasta coleção de arquivos multimídia em domínio público, mantém o Wayback Machine, um repositório de versões de websites antigos desde seus primórdios na década de 90:
http://www.archive.org/web/web.php

E o webdesign dos anos 90, cheio de fundos estonteantes, GIFs animados e musiquinhas MIDI, já se tornou cult. Uma nova ferramenta, o Geocities-izer, permite transformar sites atuais em antigas versões, como aquelas que eram hospedadas no famoso Geocities:
http://wonder-tonic.com/geocitiesizer/index.php

(Mantenho meus sites mais antigos disponíveis na web. Como o OnLine Magazine, editado em 1996,
http://www.malagrino.com.br/online
e meu portfolio de 1998,
http://www.malagrino.com.br/portfolio/1998/
Versões mais antigas não tenho mais, pois estavam gravadas em diskette e já eram...)

2 comentários:

Fada do Bosque disse...

Claudio, continua como sempre um expert topo de gama, pelo que lhe dou os meus Parabéns! Além de ser interessado, partilha o que sabe com os outros... :) Agradeço imenso tudo o que me tem ensinado, tornando-me assim uma pessoa mais rica e instruida. Embora tenha dificuldade em entender algumas coisas, devido ao seu elevado nível de conhecimento, é sempre bom aprender com pessoas como você.
Um abraço e até mais! :)

Claudio disse...

Helena, ainda tenho muito o que saber. Ao escrever sobre o assunto aprendo mais sobre ele.

Obrigado. Volte sempre.