25 de fev de 2010

O Fundamentalismo, no Cristianismo e no Islã

Um dos termos religiosos mais controversos é o Fundamentalismo.

Dentro dos círculos acadêmicos, o Fundamentalismo é descrito como uma forma de espiritualidade criada de modo a enfrentar o temor de que a modernidade possa afetar ou mesmo erradicar a fé e a moralidade de seus seguidores. Já a mídia utiliza o termo normalmente para descrever setores mais conservadores de determinada religião, ou mesmo grupos religiosos propensos à violência.

Os Fundamentalistas Cristãos crêem que a Bíblia é unicamente a palavra de Deus, e rejeitam a interpretação de que se trata de um documento histórico. Por volta dos anos 1960 muitos teólogos e historiadores acreditaram que as religiões se tornariam menos conservadoras, porém isso não ocorreu. Os setores fundamentalistas das principais religiões do mundo (Cristianismo, Islamismo, Hinduísmo, Budismo e outras) se ampliaram, dedicados a preservar suas tradições religiosas.

O Fundamentalismo no Islã tem sido normalmente associado no Ocidente ao terrorismo anti-americano, o que não é correto. Os Fundamentalistas Islâmicos simplesmente formam uma ala conservadora do Islã, que promovem o estrito seguimento das Leis do Alcorão. Muitos promovem o conceito de Estado Teocrático, onde a Sharia (Lei Islâmica) se torna uma política de Estado. E muitos vêem o Ocidente como infiel, decadente e obcecado pelo sexo.

O terrorismo islâmico representa uma ala extremamente radical do Islã, com seguidores que acreditam que os ensinamentos do Alcorão devem ser impostos à força, se necessário. Este movimento é alimentado por elementos sociais, econômicos e políticos presentes em muitos países muçulmanos: ausência de democracia, autocracia, ausência de eleições livres, conflitos locais, concentração extrema de renda e alto desemprego. Talvez o principal motor do terrorismo islâmico seja o conflito Palestino-Israelense, que já dura 5 décadas e alimenta a maior parte do ódio, instabilidade e hostilidade reinantes na região.

Texto original:  
Religious Tolerance - The term Fundamentalism in Christianity and Islam
http://www.religioustolerance.org/reac_ter9.htm

3 comentários:

Fernanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda disse...

Amigo Cláudio,

Li com muito interesse o texto, e como já conhece a minha posição, nada vou argumentar.
Pelo menos hoje e agora.

Beijinho

Claudio disse...

Ok, Fernanda, obrigado pela visita.