1 de fev de 2010

Lili Marlene

Lili Marlene foi escrita durante a 1.ª Guerra Mundial, por Hans Leip, do Exército Imperial Alemão. Em 1938 Norbert Schultze compôs uma melodia para a letra de Leip, e a canção foi gravada pela cantora Lale Andersen.

Durante a ocupação da Iugoslávia pelas tropas nazistas em 1941, o programador da Rádio Belgrado tocava com freqüência Lili Marlene, por absoluta falta de outros discos nas prateleiras da emissora. O ministro da propaganda Joseph Göbbels não gostou da canção e ordenou que saísse do ar; mas a Rádio Belgrado era captada em toda a Europa, e tanto alemães quanto soldados aliados se encantaram com a história da garota sob a luz... O general alemão Rommel permitiu que a rádio transmitisse a canção, que se tornou a assinatura da emissora, sendo executada todos os dias às 21:55, antes de sair do ar.

A popularidade de Lili Marlene cresceu tanto que foram escritas versões em várias línguas. A atriz americana Marlene Dietrich interpretou-a diversas vezes por toda a Europa e norte da África, por três anos.

Abaixo, Lale Andersen interpreta Lili Marlene na versão original de 1939.



1. Vor der Kaserne
Vor dem großen Tor
Stand eine Laterne
Und steht sie noch davor
So woll'n wir uns da wieder seh'n
Bei der Laterne wollen wir steh'n
|: Wie einst Lili Marleen. :|

2. Unsere beide Schatten
Sah'n wie einer aus
Daß wir so lieb uns hatten
Das sah man gleich daraus
Und alle Leute soll'n es seh'n
Wenn wir bei der Laterne steh'n
|: Wie einst Lili Marleen. :|

3. Schon rief der Posten,
Sie blasen Zapfenstreich
Das kann drei Tage kosten
Kam'rad, ich komm sogleich
Da sagten wir auf Wiedersehen
Wie gerne wollt ich mit dir geh'n
|: Mit dir Lili Marleen. :|

4. Deine Schritte kennt sie,
Deinen zieren Gang
Alle Abend brennt sie,
Doch mich vergaß sie lang
Und sollte mir ein Leids gescheh'n
Wer wird bei der Laterne stehen
|: Mit dir Lili Marleen? :|

5. Aus dem stillen Raume,
Aus der Erde Grund
Hebt mich wie im Traume
Dein verliebter Mund
Wenn sich die späten Nebel drehn
Werd' ich bei der Laterne steh'n
|: Wie einst Lili Marleen. :|

Underneath the lantern,
By the barrack gate
Darling I remember
The way you used to wait
T'was there that you whispered tenderly,
That you loved me,
You'd always be,
My Lilli of the Lamplight,
My own Lilli Marlene

Time would come for roll call,
Time for us to part,
Darling I'd caress you
And press you to my heart,
And there 'neath that far-off lantern light,
I'd hold you tight ,
We'd kiss good night,
My Lilli of the Lamplight,
My own Lilli Marlene

Orders came for sailing,
Somewhere over there
All confined to barracks
was more than I could bear
I knew you were waiting in the street
I heard your feet,
But could not meet,
My Lilly of the Lamplight,
my own Lilly Marlene

Resting in our billets,
Just behind the lines
Even tho' we're parted,
Your lips are close to mine
You wait where that lantern softly gleams,
Your sweet face seems
To haunt my dreams
My Lilly of the Lamplight,
My own Lilly Marlene 

http://ingeb.org/garb/lmarleen.html

5 comentários:

Fernanda disse...

Amigo Cláudio!

Conhecia a canção...mas não totalmente a história.
A D O R E I !

Sei que não te importas, vou levar a letra em Inglês para o meu Diverse Texts and Stories bem como o link da vídeo.
Há uma amiga do Blog Canções da nossa Vida que adoraria ver isto.
Vou mandá-la cá.

Um abraço
Fernanda Ferreira (Ná)

Claudio disse...

Fernanda, postei anteriormente a canção interpretada por Marlene Dietrich, mas ao ouvir a original de Lale Andersen achei a versão da atriz americana um tanto forçada.

"Lili Marlene" na voz de Lale Andersen é belíssima.

Fique à vontade para convidar os amigos.

Grande abraço.

Jackeline Depp disse...

Olá Cláudio, muito interessante a postagem, mas poderia colocar a tradução da letra? risos
Já arrumamos o link do selinho, tem duas formas... Volta lá e escolhe a melhor, ok?
Abração de luz e paz!!!
Jackeline-JDM

Luis disse...

Amigo Claudio,
Como militar que sou e conhecendo a história desta canção adorei este seu Post e atrevi-me a pescá-lo para a minha Tulha. Espero que não leve a mal!!!
Um abraço amigo.

Claudio disse...

Sem problemas, Luis. Grande abraço.